Mensagem de boas-vindas
 


  
 

A modalidade Karate, tal como a conhecemos na actualidade, tem já uma longa e sólida história em Portugal. Da mesma forma as demais actividades que desenvolvidas pelo homem, também o Karate conhece limitações físicas e psicológicas inerentes. No entanto, razão das virtudes espirituais que desenvolve naqueles que ao Karate se dedicam, a dimensão da arte suplanta-se à ciência. Infelizmente, os conteúdos políticos da acção humana limitam por vezes a fronteira das potencialidades a serem conquistadas nos dois planos, o físico e o espiritual. Em Portugal, depois de tantos anos de esforço e dedicação espartilhados, parece que finalmente surge um maior concerto de atitudes, num verdadeiro acto de cultura.

Conhecermos a história do Karate em Portugal e em especial a do nosso estilo, será uma proposta e um desafio de enriquecimento aprofundado da essência dos nossos conhecimentos e das nossas limitações.

 

 

 

 

As cerca de quatro décadas de história do Karate em Portugal, comportam inúmeros momentos caracterizadores de conjunturas políticas, desportivas e principalmente pessoais, daqueles que detém a responsabilidade da sua divulgação. É por isso, tal qual todas as outras histórias, preenchida de paixões, de ódios, de acontecimentos marcantes que continuam a referenciar o consciente das actuais gerações. Mas o fundamental é o legado, a obra que tanto enriqueceu a nossa cultura e moldou as nossas personalidades.

O imaginário e a verdade, um paradoxo que tantas vezes na sua busca, nos leva à reflexão e à acção. Sem sonhos por certo nada conseguiríamos. Seria uma vida sem paixões. Ora o Karate é hoje não mais do que um percurso para o nosso enriquecimento interior como homens, numa vida em sociedade. O encontro connosco e com os outros, o fim das dúvidas e das inquietações, é o objectivo último do Do ? o caminho - que o Karate nos faculta.

A discussão da verdade gera conhecimento e o espólio registado dessa busca, lega documentação que será imprescindível ao manancial de informação que no futuro deverá proporcionar novos e aprofundados estudos.

A mensagem é precisamente essa, o suscitar de estudos escritos e outros, sobre cada um dos estilos e sobre o Karate em geral em Portugal. Estudos sérios que não omitam nem deturpem a verdade dos factos, numa tendência que, infelizmente, parece grassar mesmo a nível internacional junto de prestigiados instrutores. Acredito, porém, que actualmente vivemos um período já de consolidação, onde este tipo de trabalhos deverá ter um lugar particularmente importante.

Agradeço a todos a vossa visita e as eventuais sugestões que entendam fazer-me chegar.

Jaime Palma de Sequeira e Pereira